COMUNIDADE CATÓLICA QUERIGMA

QUARESMA 2019 – VIA-SACRA

Via Sacra 2019 (Download do Documento)

1ª Estação: Jesus é condenado à morte

Dirigente: Nós Vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos!

Todos: Porque, pela Vossa Santa Cruz, remistes o mundo!

Chegando a manhã, todos os príncipes dos sacerdotes e os anciãos do povo reuniram-se em conselho para entregar Jesus à morte. Ligaram-no e o levaram ao governador Pilatos.

Jesus compareceu diante do governador, que o interrogou: “És o rei dos judeus?”. “Sim” –, respondeu-lhe Jesus. Ele, porém, nada respondia às acusações dos príncipes dos sacerdotes e dos anciãos.

Perguntou-lhe Pilatos: “Não ouves todos os testemunhos que levantam contra ti?”. Mas, para grande admiração do governador, não quis responder a nenhuma acusação.

Era costume que o governador soltasse um preso a pedido do povo em cada festa da Páscoa. Ora, havia naquela ocasião um prisioneiro famoso, chamado Barrabás. Pilatos dirigiu-se ao povo reunido: “Qual quereis que eu vos solte: Barrabás ou Jesus, que se chama Cristo?”. [Ele sabia que tinham entregue Jesus por inveja].

Enquanto estava sentado no tribunal, sua mulher lhe mandou dizer: “Nada faças a esse justo. Fui hoje atormentada por um sonho que lhe diz respeito”. Mas os príncipes dos sacerdotes e os anciãos persuadiram o povo que pedisse a libertação de Barrabás e fizessem morrer Jesus. O governador tomou então a palavra: “Qual dos dois quereis que eu vos solte?”. Responderam: “Barrabás!”. Pilatos perguntou: “Que farei então de Jesus, que é chamado o Cristo?”. Todos responderam: “Seja crucificado!”. O governador tornou a perguntar: “Mas que mal fez ele?”. E gritavam ainda mais forte: “Seja crucificado!”. Pilatos viu que nada adiantava, mas que, ao contrário, o tumulto crescia. Fez com que lhe trouxessem água, lavou as mãos diante do povo e disse: “Sou inocente do sangue deste homem. Isto é lá convosco!”. E todo o povo respondeu: “Caia sobre nós o seu sangue e sobre nossos filhos!”. Libertou então Barrabás, mandou açoitar Jesus e lho entregou para ser crucificado (Mt 27,1-2.11-26).

Jesus a Santa Faustina: Não te admires se, às vezes, és julgada injustamente. Eu, por teu amor, bebi por primeiro o cálice de sofrimentos não merecidos (Diário, 289). Minha filha, quando Eu estava perante Herodes, pedi para ti a graça de saberes elevar-te acima do desprezo humano e seguir fielmente os Meus passos. Cala-te quando não querem reconhecer a tua verdade, porque então serás mais eloquente (Diário, 1164).

Santa Faustina: O silêncio é como a espada na luta espiritual; a alma tagarela nunca atingirá a santidade. Essa espada do silêncio cortará tudo que queira apegar-se à alma. Somos sensíveis à fala e, sendo sensíveis, logo queremos responder; não levamos em conta se é da vontade de Deus que falemos. A alma silenciosa é forte; nenhuma diversidade a prejudicará, se perseverar no silêncio. A alma recolhida é capaz da mais profunda união com Deus, ela vive quase sempre sob a inspiração do Espírito Santo. Deus opera sem obstáculo na alma silenciosa (Diário, 477).

Pai Nosso, Ave-Maria, Glória

Sacratíssimo Coração de Jesus, tende piedade de nós!

Jesus, manso e humilde de Coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Doce Coração de Maria, sede a nossa Salvação!

Canto:

A morrer crucificado, teu Jesus é condenado – por teus crimes, pecador! Por teus crimes, pecador!

Pela Virgem Dolorosa, Vossa Mãe tão piedosa – perdoai-me, meu Jesus! Perdoai-me, meu Jesus!

2ª Estação: Jesus carrega a Cruz

Dirigente: Nós Vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos!

Todos: Porque, pela Vossa Santa Cruz, remistes o mundo!

Os soldados do governador conduziram Jesus para o pretório e rodearam-no com todo o pelotão. Arrancaram-lhe as vestes e colocaram-lhe um manto escarlate. Depois, trançaram uma coroa de espinhos, meteram-lhe na cabeça e puseram-lhe na mão uma vara. Dobrando os joelhos diante dele, diziam com escárnio: “Salve, rei dos judeus!”. Cuspiam-lhe no rosto e, tomando da vara, davam-lhe golpes na cabeça. Depois de escarnecerem dele, tiraram-lhe o manto e entregaram-lhe as vestes. Em seguida, levaram-no para o crucificar (Mt 27, 27-31).

Ele próprio carregava a sua cruz para fora da cidade, em direção ao lugar chamado Calvário, em hebraico Gólgota (Jo 19,17b).

Jesus a Santa Faustina: Minha filha, não tenhas medo dos sofrimentos, Eu estou contigo (Diário, 151). Minha filha, é no sofrimento que mais Me agradas. Nos teus sofrimentos físicos ou morais – Minha filha – não procures a compaixão das criaturas. Quero que o aroma dos teus sofrimentos seja puro, sem qualquer mistura. Quero que te desprendas não só das criaturas, mas também de ti mesma. […] Minha filha, quanto mais amares o sofrimento, tanto mais puro será o teu amor para Comigo (Diário, 279).

Santa Faustina: O sofrimento é o maior tesouro na terra – purifica a alma. No sofrimento conhecemos quem é nosso verdadeiro amigo. O verdadeiro amor é medido com o termômetro dos sofrimentos. Jesus, agradeço-Vos pelas pequenas cruzinhas diárias, pelas contrariedades nos meus planos, pelas dificuldades na vida em comum, pela má interpretação das minhas intenções, pela humilhação que sofro dos outros, pelo procedimento rude comigo, pelos julgamentos injustos, pela saúde fraca e pelo esgotamento físico, pela abnegação da vontade própria, pelo aniquilamento do próprio eu, pela incompreensão em tudo, pelo transtorno de todos os meus planos. Agradeço-Vos, Jesus, pelos sofrimentos interiores, pela aridez do espírito, dos temores, medos e incertezas, pelas trevas e pela espessa obscuridade interior, pelas tentações e diversas provações, pelos tormentos que são difíceis de exprimir e, especialmente, por aqueles em que ninguém nos compreenderá, pela hora da morte, pela dificuldade da luta nela, por toda a sua amargura. Agradeço-Vos, Jesus, que fostes o primeiro a beber desse cálice de amargura, antes de o entregardes a mim, já atenuado (Diário, 342-343).

Pai Nosso, Ave-Maria, Glória

Sacratíssimo Coração de Jesus, tende piedade de nós!

Jesus, manso e humilde de Coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Doce Coração de Maria, sede a nossa Salvação!

Canto:

Com a cruz é carregado, e do peso acabrunhado – vai morrer por teu amor! Vai morrer por teu amor!

Pela Virgem Dolorosa, Vossa Mãe tão piedosa – perdoai-me, meu Jesus! Perdoai-me, meu Jesus!

3ª Estação: Jesus cai pela primeira vez

Dirigente: Nós Vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos!

Todos: Porque, pela Vossa Santa Cruz, remistes o mundo!

Em verdade, ele tomou sobre si nossas enfermidades, e carregou os nossos sofrimentos: e nós o reputávamos como um castigado, ferido por Deus e humilhado. Mas ele foi castigado por nossos crimes, e esmagado por nossas iniquidades; o castigo que nos salva pesou sobre ele; fomos curados graças às suas chagas (Is 53,4-5).

Jesus a Santa Faustina: Minha filha, escreve que as faltas involuntárias das almas não detêm o Meu amor para com elas, nem impedem a Minha união com elas; porém, as faltas, ainda que mínimas, mas voluntárias – estas impedem as Minhas graças e não posso cumular tais almas com os Meus dons (Diário, 1641).

Santa Faustina: Meu Jesus, apesar das Vossas graças, sinto e vejo toda a minha miséria. Começo o dia com luta e termino-o com luta. Mal dou conta de uma dificuldade e, em seu lugar, surgem dez para serem combatidas. Mas não me preocupo com isso, porque sei bem que este é o tempo de luta; e não de paz. Quando a intensidade da luta ultrapassa as minhas forças, jogo-me como uma criança nos braços do Pai Celestial e confio que não perecerei.

Pai Nosso, Ave-Maria, Glória

Sacratíssimo Coração de Jesus, tende piedade de nós!

Jesus, manso e humilde de Coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Doce Coração de Maria, sede a nossa Salvação!

Canto:

Pela cruz tão oprimido, cai Jesus desfalecido – pela tua Salvação! Pela tua Salvação!

Pela Virgem Dolorosa, Vossa Mãe tão piedosa – perdoai-me, meu Jesus! Perdoai-me, meu Jesus!

4ª Estação: Jesus encontra-se com sua Mãe

Dirigente: Nós Vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos!

Todos: Porque, pela Vossa Santa Cruz, remistes o mundo!

Seu pai e sua mãe estavam admirados das coisas que dele se diziam. Simeão abençoou-os e disse a Maria, sua mãe: “Eis que este menino está destinado a ser uma causa de queda e de soerguimento para muitos homens em Israel, e a ser um sinal que provocará contradições, a fim de serem revelados os pensamentos de muitos corações. E uma espada transpassará a sua alma” (Lc 2,33-35).

Jesus a Santa Faustina: Ouve, Minha filha! Embora todas as obras que surgem da Minha vontade estejam sujeitas a grandes sofrimentos, reflete se alguma delas esteve sujeita a maiores dificuldades do que a obra diretamente Minha – a obra da Redenção. Não deves preocupar-te demais com as adversidades. O mundo não é tão forte como parece; sua força é estritamente limitada. Deves saber, Minha filha, que se a tua alma estiver repleta do fogo do Meu puro amor, então todas as dificuldades sumirão como neblina perante os raios do sol, e não ousarão importunar uma alma assim. Todos os adversários têm medo de enfrentá-la, porque sentem que essa alma é mais forte que o mundo inteiro… (Diário, 1643).

Santa Faustina: […] vi a Virgem Santíssima, indizivelmente bela, que se aproximou de mim, vindo do altar até o meu genuflexório, estreitou-me ao seu Coração e disse-me estas palavras: “Sou vossa Mãe pela infinita misericórdia de Deus. A alma que cumpre fielmente a vontade de Deus é a que mais me agrada. […] Sê corajosa, não tenhas medo das dificuldades ilusórias, mas fixa o teu olhar na Paixão do meu Filho e, dessa maneira, vencerás” (Diário, 449).

Pai Nosso, Ave-Maria, Glória

Sacratíssimo Coração de Jesus, tende piedade de nós!

Jesus, manso e humilde de Coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Doce Coração de Maria, sede a nossa Salvação!

Canto:

De Maria lacrimosa, no encontro lastimoso – vê a viva compaixão! Vê a viva compaixão!

Pela Virgem Dolorosa, Vossa Mãe tão piedosa – perdoai-me, meu Jesus! Perdoai-me, meu Jesus!

5ª Estação: Simão, o Cirineu, ajuda Jesus a carregar a Cruz

Dirigente: Nós Vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos!

Todos: Porque, pela Vossa Santa Cruz, remistes o mundo!

Passava por ali certo homem de Cirene, chamado Simão, que vinha do campo, pai de Alexandre e de Rufo, e obrigaram-no a que lhe levasse a cruz (Mc 15,21).

Jesus a Santa Faustina: Não recompenso pelo bom êxito, mas pela paciência e pelo trabalho suportado por Minha causa (Diário, 86).

Santa Faustina: Meu Jesus, bem vedes que a Vossa santa vontade é tudo para mim. Não me importa o que façais comigo: se mandardes que eu ponha mãos à obra – trabalharei tranquila, embora reconheça a minha incapacidade; se, por intermédio dos Vossos representantes me mandardes esperar – esperarei com paciência. […] Quando me submeto à santa vontade de meu Deus, uma profunda paz invade a minha alma. Ó meu Jesus, Vós não recompensais pelo sucesso na ação, mas pela vontade sincera e pelo trabalho empreendido. Por isso, estou inteiramente tranquila, ainda que todas as minhas iniciativas e todos os meus esforços sejam frustrados, ou nunca se concretizem. Seu eu fizer tudo o que estiver ao meu alcance, o resto não me compete. Por isso, as maiores tempestades não perturbam a minha profunda paz. Na minha consciência reside a vontade de Deus (Diário, 952).

Pai Nosso, Ave-Maria, Glória

Sacratíssimo Coração de Jesus, tende piedade de nós!

Jesus, manso e humilde de Coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Doce Coração de Maria, sede a nossa Salvação!

Canto:

Em extremo desmaiado, deve auxílio tão cansado – receber do Cirineu! Receber do Cirineu!

Pela Virgem Dolorosa, Vossa Mãe tão piedosa – perdoai-me, meu Jesus! Perdoai-me, meu Jesus!

6ª Estação: Verônica enxuga o rosto de Jesus

Dirigente: Nós Vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos!

Todos: Porque, pela Vossa Santa Cruz, remistes o mundo!

“Fazei brilhar sobre nós, Senhor, a luz de vossa face” (Sl 4,7b).

Mas eu, confiado na vossa justiça, contemplarei a vossa face; ao despertar, irei saciar-me com a visão de vosso rei (Sl 16,15).

Jesus a Santa Faustina: […] se o teu amor ao próximo é guiado pelo Meu amor, se rezas pelos inimigos, se desejas o bem àqueles que de qualquer forma te entristeceram ou ofenderam, fica sabendo que tudo o que fizerdes de bom para qualquer alma, Eu o aceito como se o tivesses feito a Mim mesmo (Diário, 1768).

Santa Faustina: Um grande amor consegue transformar coisas pequenas em coisas grandes e só ele dá valor às nossas ações; quanto mais puro se tornar o nosso amor, tanto menos o fogo dos sofrimentos terá o que purificar em nós, e o sofrimento deixará de ser sofrimento para nós. – Tornar-se-á para nós um prazer. […] quando sofremos muito, temos uma grande oportunidade de demonstrar a Deus que O amamos, enquanto que quando sofremos pouco, então temos pouca possibilidade para demonstrar a Deus o nosso amor, e quando não sofremos nada – então o nosso amor não é grande nem puro (Diário, 303).

Pai Nosso, Ave-Maria, Glória

Sacratíssimo Coração de Jesus, tende piedade de nós!

Jesus, manso e humilde de Coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Doce Coração de Maria, sede a nossa Salvação!

Canto:

O Seu rosto ensanguentado, por Verônica enxugado – contemplemos com amor! Contemplemos com amor!

Pela Virgem Dolorosa, Vossa Mãe tão piedosa – perdoai-me, meu Jesus! Perdoai-me, meu Jesus!

7ª Estação: Jesus cai pela segunda vez

Dirigente: Nós Vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos!

Todos: Porque, pela Vossa Santa Cruz, remistes o mundo!

O Senhor torna firmes os passos do homem e aprova os seus caminhos. Ainda que caia, não ficará prostrado, porque o Senhor o sustenta pela mão (Sl 36,23-24).

Jesus a Santa Faustina: […] a causa das tuas quedas é o fato de contardes demais contigo mesma e pouco te apoiares em Mim (Diário, 1488). […] reconhece que nada podes por ti mesma (Diário, 639). Não és sequer capaz de aceitar as Minhas graças sem uma especial ajuda Minha – tu sabes o que és (Diário, 738).

Santa Faustina: Jesus, não me deixes sozinha no sofrimento. Vós, Senhor, sabeis como sou fraca, sou o abismo da miséria, sou o próprio nada. Então não será de admirar que, se me deixardes sozinha, logo venha a cair. Sou como uma criança recém-nascida, Senhor, não sou capaz de me orientar sozinha. No entanto, confio acima de qualquer abandono e confio apesar do meu sentimento; confio e me transformo toda em confiança, algumas vezes não obstante aquilo que sinto (Diário, 1489).

Pai Nosso, Ave-Maria, Glória

Sacratíssimo Coração de Jesus, tende piedade de nós!

Jesus, manso e humilde de Coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Doce Coração de Maria, sede a nossa Salvação!

Canto:

Outra vez desfalecido, pelas dores abatido – cai por terra, o Salvador! Cai por terra o Salvador!

Pela Virgem Dolorosa, Vossa Mãe tão piedosa – perdoai-me, meu Jesus! Perdoai-me, meu Jesus!

8ª Estação: Jesus consola as mulheres

Dirigente: Nós Vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos!

Todos: Porque, pela Vossa Santa Cruz, remistes o mundo!

Seguia-o uma grande multidão de povo e de mulheres, que batiam no peito e o lamentavam. Voltando-se para elas, Jesus disse: “Filhas de Jerusalém, não choreis sobre mim, mas chorai sobre vós mesmas e sobre vossos filhos. Porque virão dias em que se dirá: Felizes as estéreis, os ventres que não geraram e os peitos que não amamentaram! Então, dirão aos montes: Caí sobre nós! E aos outeiros: Cobri-nos! Porque, se eles fazem isso ao lenho verde, que acontecerá ao seco?” (Lc 23,27-31).

Jesus a Santa Faustina: Desejo que haja em vós mais fé nos momentos presentes (Diário, 352).

Santa Faustina: Peço ardentemente ao Senhor que se digne fortalecer a minha fé, para que na vida cotidiana eu não me deixe levar pelas considerações humanas, mas pelo espírito. Oh, como tudo atrai o homem para a terra! Mas a fé viva mantém a alma em esferas mais elevadas, e designa para o amor próprio o lugar que lhe convém, isto é – o último (Diário, 210).

Pai Nosso, Ave-Maria, Glória

Sacratíssimo Coração de Jesus, tende piedade de nós!

Jesus, manso e humilde de Coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Doce Coração de Maria, sede a nossa Salvação!

Canto:

Das mulheres piedosas, de Sião filhas chorosas – é Jesus consolador! É Jesus consolador!

Pela Virgem Dolorosa, Vossa Mãe tão piedosa – perdoai-me, meu Jesus! Perdoai-me, meu Jesus!

9ª Estação: Jesus cai pela terceira vez

Dirigente: Nós Vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos!

Todos: Porque, pela Vossa Santa Cruz, remistes o mundo!

Também Cristo padeceu por vós, deixando-vos exemplo para que sigais os seus passos. Ele não cometeu pecado, nem se achou falsidade em sua boca (Is 53,9). Ele, ultrajado, não retribuía com idêntico ultraje; ele, maltratado, não proferia ameaças, mas entregava-se àquele que julga com justiça. Carregou os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro para que, mortos aos nossos pecados, vivamos para a justiça. Por fim, por suas chagas fomos curados (Is 53,5).

Jesus a Santa Faustina: Minha filha, fica sabendo que os maiores obstáculos à santidade são o desânimo e a inquietação infundada. Eles te impedem de praticar a virtude. Todas as tentações juntas não deveriam, nem por um momento, perturbar a tua paz interior. A irritabilidade e o desânimo são frutos do teu amor-próprio. Não deves nunca desanimar-te, mas esforçar-te para que em lugar do amor-próprio possa reinar o Meu amor. Portanto, tem confiança, Minha filha; não deves desanimar. Vem buscar o Meu perdão, pois Eu estou sempre pronto a te perdoar. Quantas vezes Me pedires perdão, tantas vezes glorificarás a Minha misericórdia (Diário, 1488).

Santa Faustina: Ó meu Jesus, como sou propensa ao mal. Isso me obriga a uma contínua vigilância sobre mim mesma, mas nada temo, confio na graça de Deus que é profusa justamente na maior miséria (Diário, 606).

Pai Nosso, Ave-Maria, Glória

Sacratíssimo Coração de Jesus, tende piedade de nós!

Jesus, manso e humilde de Coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Doce Coração de Maria, sede a nossa Salvação!

Canto:

Cai terceira vez prostrado, pelo peso redobrado – dos pecados e da Cruz! Dos pecados e da Cruz!

Pela Virgem Dolorosa, Vossa Mãe tão piedosa – perdoai-me, meu Jesus! Perdoai-me, meu Jesus!

10ª Estação: Jesus é despido de Suas vestes

Dirigente: Nós Vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos!

Todos: Porque, pela Vossa Santa Cruz, remistes o mundo!

Tomaram as suas vestes e fizeram delas quatro partes, uma para cada soldado. A túnica, porém, toda tecida de alta a baixo, não tinha costura. Disseram, pois, uns aos outros: “Não a rasguemos, mas deitemos sorte sobre ela, para ver de quem será”. Assim se cumpria a Escritura: Repartiram entre si as minhas vestes e deitaram sorte sobre a minha túnica (Sl 21,19). Isso fizeram os soldados (Jo 19,23b-24).

Jesus a Santa Faustina: Jesus surgiu, de repente, diante de mim, despido de Suas vestes, coberto de chagas por todo o Corpo, os olhos cheios de sangue e lágrimas, o rosto todo desfigurado, coberto de escarros. Então, o Senhor me disse: A esposa deve ser semelhante ao seu esposo (Diário, 266).

Santa Faustina: Compreendi a fundo essas palavras. Aqui não há lugar para qualquer tipo de dúvidas. A minha semelhança com Jesus deve ser pelo sofrimento e pela humildade (Diário, 266).

Pai Nosso, Ave-Maria, Glória

Sacratíssimo Coração de Jesus, tende piedade de nós!

Jesus, manso e humilde de Coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Doce Coração de Maria, sede a nossa Salvação!

Canto:

De Suas vestes despojado, por algozes maltratado – eu Vos vejo, meu Jeus! Eu Vos vejo meu Jesus!

Pela Virgem Dolorosa, Vossa Mãe tão piedosa – perdoai-me, meu Jesus! Perdoai-me, meu Jesus!

11ª Estação: Jesus é pregado na Cruz

Dirigente: Nós Vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos!

Todos: Porque, pela Vossa Santa Cruz, remistes o mundo!

Chegados que foram ao lugar chamado Calvário, ali o crucificaram, como também os ladrões, um à direita e outro à esquerda. E Jesus dizia: “Pai, perdoa-lhes; porque não sabem o que fazem”. A multidão conservava-se lá e observava. Os príncipes dos sacerdotes escarneciam de Jesus, dizendo: “Salvou a outros, que se salve a si próprio, se é o Cristo, o escolhido de Deus!”. Do mesmo modo zombavam dele os soldados. Aproximavam-se dele, ofereciam-lhe vinagre e diziam: “Se és rei dos judeus, salva-te a ti mesmo”. Por cima de sua cabeça pendia esta inscrição: “Este é o rei dos judeus”.

Um dos malfeitores, ali crucificados, blasfemava contra ele: “Se és o Cristo, salva-te a ti mesmo e salva-nos a nós!”. Mas o outro o repreendeu: “Nem sequer temes a Deus, tu que sofres no mesmo suplício? Para nós isto é justo: recebemos o que mereceram os nossos crimes, mas este não fez mal algum”. E acrescentou: “Jesus, lembra-te de mim, quando tiveres entrado no teu Reino!”. Jesus respondeu-lhe: “Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso” (Lc 23,33-43).

Jesus a Santa Faustina: Minha discípula, demonstra grande amor para com aqueles que te infligem sofrimentos, faz o bem àqueles que te odeiam. O sentimento nem sempre está em teu poder. Conhecerás que tens amor se, depois de experimentar dissabores e contrariedades, não perderes a calma, mas rezares por aqueles que te fizeram sofrer e se lhes desejares o bem (Diário, 1628).

Santa Faustina: Ó meu Jesus, Vós sabeis quantos esforços são necessários para conviver sinceramente e com simplicidade com as pessoas das quais a nossa natureza foge, ou com aquelas que, consciente ou inconscientemente, nos tenham feito sofrer – humanamente isso é impossível. Em momentos assim procuro descobrir, mais do que em outra ocasião, a pessoa de Nosso Senhor nessas pessoas e, por Jesus, faço tudo por elas. Nessas ações, o amor é puro e tal exercício de amor dá vigor e força à alma. Nada espero das criaturas e por isso não sofro nenhuma decepção (Diário, 766).

Pai Nosso, Ave-Maria, Glória

Sacratíssimo Coração de Jesus, tende piedade de nós!

Jesus, manso e humilde de Coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Doce Coração de Maria, sede a nossa Salvação!

Canto:

Sois por mim na Cruz pregado, insultado, blasfemado – com cegueira e com furor! Com cegueira e com furor!

Pela Virgem Dolorosa, Vossa Mãe tão piedosa – perdoai-me, meu Jesus! Perdoai-me, meu Jesus!

12ª Estação: Jesus morre na Cruz

Dirigente: Nós Vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos!

Todos: Porque, pela Vossa Santa Cruz, remistes o mundo!

Era quase à hora sexta e em toda a terra houve trevas até a hora nona. Escureceu-se o sol e o véu do templo rasgou-se pelo meio. Jesus deu então um grande brado e disse: “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito”. E dizendo isso, expirou.

Vendo o centurião o que acontecia, deu glória a Deus e disse: “Na verdade, este homem era um justo” (Lc 23,44-47).

Santa Faustina: Então vi Nosso Senhor pregado na cruz. Enquanto Jesus, por alguns momentos, estava suspenso nela, vi uma legião inteira de almas crucificadas da mesma forma que Jesus. Vi uma segunda e ainda uma terceira legião de almas. A segunda legião não estava pregada na cruz, mas essas almas seguravam firmemente a cruz em suas mãos. A terceira legião de almas, no entanto, não estava nem crucificada, nem segurava firmemente a cruz nas mãos. Essas almas arrastavam a cruz após si e estavam insatisfeitas (Diário, 446).

Jesus a Santa Faustina: Estás vendo – essas almas que são semelhantes a Mim em sofrimentos e desprezo? Elas serão também semelhantes a Mim na glória; e as que forem menos parecidas Comigo no sofrimento e no desprezo – essas também terão menos semelhança Comigo na glória (Diário, 446).

Pai Nosso, Ave-Maria, Glória

Sacratíssimo Coração de Jesus, tende piedade de nós!

Jesus, manso e humilde de Coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Doce Coração de Maria, sede a nossa Salvação!

Canto:

Por meus crimes padecestes, meu Jesus por mim morrestes – ó quão grande a minha dor! Ó quão grande a minha dor!

Pela Virgem Dolorosa, Vossa Mãe tão piedosa – perdoai-me, meu Jesus! Perdoai-me, meu Jesus!

13ª Estação: Jesus é descido da Cruz

Dirigente: Nós Vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos!

Todos: Porque, pela Vossa Santa Cruz, remistes o mundo!

Quando já era tarde – era a Preparação, isto é, a véspera do sábado –, veio José de Arimateia, ilustre membro do conselho, que também esperava o Reino de Deus; ele foi resoluto à presença de Pilatos e pediu o corpo de Jesus. Pilatos admirou-se de que ele tivesse morrido tão depressa. E, chamando o centurião, perguntou se já havia muito tempo que Jesus tinha morrido. Obtida a resposta afirmativa do centurião, mandou dar-lhe o corpo. Depois de ter comprado um pano de linho, José tirou-o da cruz (Mc 15,42-46a).

Jesus a Santa Faustina: A alma que mais Me agrada é aquela que crê firmemente na Minha bondade e que tem plena confiança em Mim; concedo-lhe a Minha confiança e dou-lhe tudo o que Me pede (Diário, 453).

Santa Faustina: Recorro à Vossa misericórdia, ó Deus clemente, a Vós que sois o unicamente bom. Embora a minha miséria seja grande e numerosas sejam as faltas, confio na Vossa misericórdia, porque sois o Deus de misericórdia, e não se ouviu jamais, nem a terra ou o céu recordam, que uma alma que confiou na Vossa misericórdia se tenha decepcionado. Ó Deus de compaixão, somente Vós podeis justificar-me e nunca me rejeitareis enquanto, contrita, me dirigir ao Vosso misericordioso Coração do qual ninguém recebeu uma negativa, nem sequer o pecador, por maior que fosse (Diário, 1730).

Pai Nosso, Ave-Maria, Glória

Sacratíssimo Coração de Jesus, tende piedade de nós!

Jesus, manso e humilde de Coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Doce Coração de Maria, sede a nossa Salvação!

Canto:

Do madeiro Vos tiraram, e à Mãe vos entregaram – com que dor e compaixão! Com que dor e compaixão!

Pela Virgem Dolorosa, Vossa Mãe tão piedosa – perdoai-me, meu Jesus! Perdoai-me, meu Jesus!

14ª Estação: Jesus é sepultado

Dirigente: Nós Vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos!

Todos: Porque, pela Vossa Santa Cruz, remistes o mundo!

Acompanhou-o Nicodemos (aquele que anteriormente fora de noite ter com Jesus), levando umas cem libras de uma mistura de mirra e aloés. Tomaram o corpo de Jesus e envolveram-no em panos com aromas, como os judeus costumam sepultar. No lugar em que ele foi crucificado havia um jardim, e no jardim um sepulcro novo, em que ninguém ainda fora depositado. Foi ali que depositaram Jesus por causa da Preparação dos judeus e da proximidade do túmulo (Jo 19,39-42).

Jesus a Santa Faustina: Minha filha, ainda não estás na pátria; por isso vai – fortalecida pela Minha graça – e luta pelo Meu Reino nas almas dos homens. Mas luta como filha de rei e lembra-te de que depressa passarão os dias do exílio e, com eles, a possibilidade de acumular méritos para o céu. Espero de ti, Minha filha, um grande número de almas, que por toda a eternidade glorificarão a Minha misericórdia (Diário, 1489).

Santa Faustina: Meu Jesus, eis que agora buscarei a honra e a glória do Vosso Nome, lutando até o dia em que Vós mesmo me disserdes – basta. Jesus, toda alma que me confiastes, procurarei ajudar com a oração e o sacrifício, para que a Vossa graça possa agir nela. Ó meu Jesus, que sois um grande amante das almas, agradeço-Vos por essa grande confiança, por Vos terdes dignado deixar essas almas sob nosso cuidado. Dias de trabalho e de tristeza, não sois para mim tão sombrios, porque cada momento me traz novas graças e a possibilidade de fazer o bem (Diário, 245).

Pai Nosso, Ave-Maria, Glória

Sacratíssimo Coração de Jesus, tende piedade de nós!

Jesus, manso e humilde de Coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Doce Coração de Maria, sede a nossa Salvação!

Canto:

No sepulcro Vos puseram, mas os homens tudo esperam – do Mistério da Paixão! Do Mistério da Paixão!

Pela Virgem Dolorosa, Vossa Mãe tão piedosa – perdoai-me, meu Jesus! Perdoai-me, meu Jesus!